Pratique os Cinco princípios da Liderança inclusiva

Objetivos de aprendizagem

Após concluir esta unidade, você estará apto a:

  • Explicar os cinco princípios de liderança inclusiva.
  • Colocar os princípios de liderança inclusiva em prática.

Liderança inclusiva requer prática constante, coragem, respeito e reflexão. É importante lembrar que estamos todos aprendendo na nossa jornada rumo à igualdade. Temos que abrir espaço para erros, criar oportunidades para educação e seguir adiante com uma intenção positiva de alcançar a igualdade. Aqui estão cinco maneiras para fazer tudo isso no seu próprio local de trabalho de modo a criar um local de trabalho inclusivo para todos.

1. Liderar com igualdade

Integre a igualdade em tudo aquilo que você faz. Priorize a igualdade em todas as decisões e relacionamentos de negócio. Quando lideramos pelo exemplo e somos manifestamente ponderados em nossas ações, temos o poder de influenciar a cultura em torno de nós mesmos para que essa conduta seja adotada. Aqui estão algumas maneiras de liderar com igualdade no seu negócio.

  • Incluir igualdade nas suas metas: como já sabemos, a priorização orienta os nossos negócios. Priorize a igualdade incluindo-a formalmente em suas metas anuais e na declaração de visão da sua equipe e da sua empresa.
  • Praticar a contratação inclusiva: diversidade e inclusão andam de mãos dadas. Para garantir que o seu local de trabalho reflete as diferentes comunidades servidas por você, tente implementar processos de contratação inclusiva na sua estratégia de recrutamento. Os princípios fundamentais da contratação inclusiva para a Salesforce são:
  1. Buscamos contratar o candidato mais qualificado para a vaga.
  2. Nos esforçamos para ter um pool de candidatos que reflita as nossas comunidades.
  3. Garantimos processos de contratação justos e equitativos.
  4. Mapeamos os candidatos de acordo com as principais competências e com os nossos valores, não adequação à cultura.
  5. Lideramos com igualdade, valores e Ohana durante a experiência de entrevista.

Imagem correspondente

  • Seja um aliado: quando falamos de sentimentos incluídos, enfatizamos as ideias de sentir-se valorizado, ouvido e capacitado. Cada um de nós pode ajudar a elevar as vozes e plataformas dos nossos funcionários seguindo quatro princípios simples para tornar-se um aliado: Perguntar, Ouvir, Comparecer, Falar. Pergunte aos seus colegas sobre a experiência deles e compartilhe a sua. Ouça com empatia e procure compreender diferentes perspectivas. Compareça, mostrando estar engajado e comprometido. Fale como um defensor e pregue a sua aliança entre os outros.

Imagem correspondente

Como líder, ao praticar qualquer uma dessas etapas, você demonstra à sua equipe como eles podem ser um aliado nas suas próprias vidas. Para saber mais, complete o módulo Estratégias do aliado da igualdade.

Imagem correspondente

“Eu acho que especialmente para pessoas em cargos de gerência, é muito importante criar um ambiente onde as pessoas sintam que têm realmente voz ativa. Fazer com que elas sintam que não precisam de permissão porque esse é um direito delas.” —Iliana Quinonez, Diretora, Engenharia de Soluções e Líder da LatinoForce na Salesforce

  • Entenda os pontos fortes específicos da sua equipe: cada pessoa contribui de uma forma específica. Algumas pessoas são melhores para falar em público, enquanto outras possuem uma habilidade maior para escrever, por exemplo. Ou algumas pessoas podem impulsionadas por grandes ideias, enquanto outras podem ser orientadas a tarefas. Entender essas competências e preferências pode ajudar você a determinar como tornar o ambiente mais confortável e solidário para todos.
  • Seja flexível: oferecer apoio para lidar com acontecimentos importantes na vida, assim como para estruturas familiares e residenciais diversificadas, permite que todos tenham oportunidades iguais para ter sucesso no local de trabalho. Por exemplo, os responsáveis por crianças podem beneficiar-se de uma flexibilidade em torno do horário de deixar e buscar na escola. Existem várias ferramentas para trabalho móveis disponíveis, como videoconferência e aplicativos de colaboração como o Quip. Use essas tecnologias para permitir maior flexibilidade na adaptação ao local de trabalho e para apoiar todas as famílias.
  • Estimule a liderança ativa e o crescimento: talvez você descubra que seus funcionários demonstram grande empenho e entusiasmo em promover a igualdade. Permitir que os funcionários participem de atividades voluntárias ou de eventos do Grupo de recursos dos funcionários pode ajudá-los a desenvolver habilidades úteis para o negócio, fazer contatos fora da própria equipe, alinhá-los com um sentido de propósito mais profundo e criar uma mudança social positiva no seu local de trabalho e na sua comunidade. Você pode mostrar o seu apoio de forma visível para essas atividades através do reconhecimento e simplesmente comparecendo como um Aliado nesses eventos.

2. Tenha conversas abertas e autênticas

Em um Ted Talk inspirador, Mellody Hobson, presidente da Ariel Investments, falou sobre a importância de ter conversas abertas sobre raças no trabalho. Ela também falou sobre esse tópico na Reunião de Cúpula sobre Igualdade da Dreamforce de 2017 da Salesforce.

Mellody Hobson sorri em uma foto espontânea da Reunião de Cúpula sobre Igualdade da Dreamforce de 2017.

Da mesma forma, todos nós podemos liderar tendo conversas abertas sobre qualquer tópico relacionado à igualdade para atingir um nível mais alto de entendimento e empatia através de um diálogo sincero. Entretanto, é importante encetarmos essas conversas com autenticidade e respeito. A seguir apresentamos algumas dicas para conduzir conversas abertas e autênticas.

  • Ouça com empatia: ouvir é uma prática fundamental de qualquer aliança. Esforçar-se por ouvir com empatia é a diferença entre ouvir para responder e ouvir para entender. Empatia é a base da igualdade. Como líder, se você parar e ouvir com a mente aberta, isso pode mudar drasticamente a forma como você interage com os seus funcionários, porque eles ficam cada vez mais confiantes em falar e compartilhar suas experiências.
  • Conte a sua história: contar histórias pessoais é outra área crítica para liderar pelo exemplo. Para realmente criar uma cultura onde os funcionários se sentem à vontade para compartilhar suas jornadas e serem eles mesmos no trabalho, é importante dar o primeiro passo e compartilhar sua própria história verídica sobre igualdade.
  • Criar uma cultura de transparência: crie um ambiente onde os outros sintam-se à vontade para falar em nome de si mesmos e de todos e levantar questões sem medo. Estabeleça plataformas para que os funcionários façam isso de uma maneira segura e confortável. Peça feedback regular usando ferramentas de avaliação anônimas como a Get Feedback e certifique-se de que o processo para relatar um problema é transparente.
  • Encorajar uma discussão saudável: esteja aberto para ouvir diferentes pontos de vista e estimule os outros a expressar suas próprias opiniões. Lembre-se, discutir é saudável e ajuda a promover a inovação. De acordo com um estudo da Kellogg, Better Decisions Through Diversity (consulte a seção Recursos desta unidade), grupos heterogêneos possuem um desempenho melhor do que grupos homogêneos porque a diversidade desencadeia um processamento de informações mais cuidadoso, algo que não ocorre em grupos homogêneos. Ajude a promover a inovação garantindo que todos são ouvidos e que todos os pontos de vista são valorizados.
  • Enfatizar responsabilidade e perdão: quando essas conversas difíceis surgem é natural que as pessoas cometam erros. Como líder, você deve encorajar os seus funcionários a serem responsáveis pelos seus próprios atos, entendendo que apesar da intenção ter sido boa, o que importa é o impacto causado. Ao mesmo tempo, enfatizar a capacidade de perdoar e definir as etapas para seguir adiante depois de uma situação desconfortável é importante. Todos nós cometemos erros e podemos enxergar os nossos erros como oportunidades para aprender como melhorar.

3. Faça reuniões inclusivas

A Google conduziu um estudo, What Google Learned From Its Quest to Build the Perfect Team (consulte a seção Recursos desta unidade), que identificou dois comportamentos que todas as boas equipes geralmente compartilhavam. Esses comportamentos eram 1) Igualdade na distribuição da vez de falar em uma conversa, e 2) sensibilidade social acima da média. Em outras palavras, quando todos em uma reunião falam pelo menos uma vez e a equipe mostra um nível alto de empatia, todos rendem mais.

Reuniões são uma marca do local de trabalho moderno. Muitas vezes, quando falamos sobre problemas de inclusão, ouvimos que as mulheres e as minorias dividem as dificuldades de estar em reuniões e não se sentirem ouvidos ou reconhecidos. Os líderes devem praticar essas etapas para tornar as reuniões uma experiência mais inclusiva para todos.

  • Certifique-se de que todos são ouvidos: faça o melhor para garantir que todos se pronunciem em uma reunião. Se necessário, faça perguntas aos participantes mais calados como, “O que você acha disso?” ou “Como você abordaria esse problema?” Se alguém for interrompido, certifique-se de lidar com a interrupção na hora em que ela ocorrer. Você pode fazer isso dizendo algo como, “Acho que o participante ainda não acabou de falar”.
  • Convide as pessoas para participar da reunião: você tem reuniões sempre com o mesmo grupo? Traga novas vozes de outros grupos para garantir que diferentes pontos de vista e ideias são compartilhados.
  • Não esqueça dos funcionários remotos: no mundo da tecnologia moderna, muitas vezes participamos de uma reunião que é uma videoconferência com pessoas que estão em casa ou em algum outro lugar. É fácil esquecer ou deixar de fora as pessoas que não estão fisicamente na sala. Faça questão de se dirigir às pessoas que estão em videoconferência e certifique-se de que a opinião delas é ouvida.
  • Dê crédito e reconhecimento: pode ser uma sensação frustrante quando alguém propõe uma grande ideia e vê outra pessoa dar a mesma ideia e receber crédito por isso. Da mesma forma, é desanimador trabalhar duro em um projeto e ver o crédito ser dado a outra pessoa. Como líder, você pode resolver essa situação simplesmente reconhecendo abertamente a pessoa que teve a ideia originalmente ou trabalhou no projeto e reforçando a sua contribuição.
  • Vá trocando o responsável pelas anotações: isso pode parecer insignificante, mas uma microagressão (ação considerada como exemplo de discriminação indireta, sutil e não intencional contra membros de um grupo discriminado) comum relatada no local de trabalho é que muitas vezes as mulheres acabam fazendo as anotações durante a reunião, e como resultado, não são vistas como líderes ou como participantes com voz ativa nesse contexto. Para evitar que isso aconteça, vá trocando o responsável pelas anotações para garantir que não seja sempre a mesma pessoa.

4. Seja justo nas atribuições e nas promoções

A forma como os líderes atribuem trabalho e abordam o processo de promoção tem um impacto duradouro na inclusão. Algumas vezes a preferência acaba prevalecendo e um gerente pode começar a dar atribuições de alta visibilidade para a mesma pessoa sem se dar conta disso. Isso, por sua vez, afeta as promoções. As pessoas com atribuições complexas (atribuições concebidas para desafiar um funcionário a ir além das suas habilidades para resolver um problema) estão melhor posicionadas para uma promoção mais rápida. Quando as atribuições são distribuídas de forma desigual, isso acaba deixando os outros se sentindo desanimados e sem apoio. Certifique-se de:

  • Distribuir projetos de alta visibilidade: pergunte a você mesmo, “As mesmas pessoas na minha equipe estão recebendo projetos de alta visibilidade repetidamente?” Dê a oportunidade de produzir mais a todos os membros da sua equipe.
  • Ponderar as promoções: Todos tiveram as mesmas oportunidades? Todos os candidatos foram avaliados de forma justa?
  • Compartilhar como funciona o processo de promoção: O seu processo de promoção é transparente? As pessoas sabem o que é necessário para obter uma promoção? Estão sendo realizadas conversas sobre desenvolvimento profissional durante todo o ano?

Promoções justas e corretas promovem a igualdade no local de trabalho e afetam o resultado final. A McKinsey constatou que empresas no quartil superior para diversidade de gênero em suas equipes executivas possuem agora uma probabilidade 21% maior de experimentar um lucro acima da média, e que as empresas no quartil superior para diversidade étnica tinham uma probabilidade 33% maior. Diversidade em todos os níveis não é somente a coisa certa a se fazer, é também a mais inteligente.

5. Celebre e crie laços pensando em todos

Celebrações e atividades para unir a equipe são partes importantes da nossa cultura e vida no trabalho. Elas nos aproximam de nossos colegas num contexto relaxante e divertido. Como líder, esteja atento à forma como a sua equipe festeja e se integra. Muitas vezes, sem perceber, deixamos pessoas de fora por causa da natureza ou hora da atividade social. Por exemplo, pode ser mais difícil para pessoas com filhos pequenos comparecer a um happy hour do que a um almoço por causa das suas obrigações como pais. Da mesma forma, se a atividade sempre envolver a prática de um esporte, como futebol ou softball, isso pode excluir as pessoas com deficiência física.

Ao planejar uma atividade em grupo, considere a hora (por exemplo, happy hour vs. almoço), o local e a natureza da atividade (por exemplo, bar de esportes vs. evento de voluntariado em equipe), e se todos podem participar e mostrar a sua verdadeira maneira de ser durante a atividade escolhida.

Próximas etapas na sua jornada rumo à igualdade

Todos nós podemos fazer a nossa parte para promover a igualdade em nossos negócios e criar locais de trabalho inclusivos. Quando lideramos pelo exemplo para cultivar um ambiente onde todos se sentem valorizados, ouvidos e com um sentimento de pertença, criamos uma mudança positiva e duradoura nas nossas equipes, nas nossas empresas e no mundo à nossa volta.

Recursos