Aprender as noções básicas de gestão de versões

Objetivos de aprendizagem

Após concluir esta unidade, você estará apto a:

  • Identificar as três categorias de versão e os tipos de alteração que cada categoria envolve.
  • Descrever um conjunto de alterações.
  • Explicar por que é importante rastrear alterações e dependências nas versões dos conjuntos de alterações.

Nesta unidade, Calvin e seus colegas começam a aplicar o processo de ALM. Durante a leitura, pense nas escolhas que você faria para sua equipe. Em seguida, trabalhe nos módulos indicados no final deste módulo para se familiarizar com o processo e escolher o que funciona para você.

Criar um processo de gestão de versões

A equipe da Zephyrus adapta suas práticas de personalização às etapas do ALM, que são a melhor prática. A familiarização com o processo exige tempo, mas o esforço compensa. A equipe vê um aumento na velocidade de desenvolvimento e uma redução nas interrupções da equipe de vendas. Isso é suficiente para convencer a equipe, e a gerência está maravilhada.

Ao implementar o ciclo do ALM, a Zephyrus adotou um processo básico de gestão de versões. Mas a equipe tem projetos grandes e pequenos em andamento, todos em diferentes etapas do ciclo do ALM. Para ajudar a manter projetos e expectativas sob controle, Calvin adiciona mais estrutura configurando um cronograma de lançamento e definindo critérios para versões de tamanhos diferentes.

Em geral, as versões se encaixam em uma destas três categorias.

Patch
Correções de bugs e alterações simples. Alterações simples, incluindo relatórios, painéis, modos de exibição de lista e modelos de email.
Menos importantes
Mudanças com um impacto limitado, como uma nova regra de fluxo de trabalho ou um acionador que vá influenciar apenas um processo empresarial. Essas versões normalmente exigem testes, mas apenas treinamento limitado e gestão de alterações. Normalmente, uma equipe conclui as alterações de uma versão menos importante em poucas semanas.
Mais importantes
Mudanças de impacto significativo, incluindo alterações com uma ou mais dependências. Uma vez que essas versões podem ter um impacto muito grande na experiência do usuário e na qualidade dos dados, elas precisam de muitos testes e treinamentos, demandando bastante atenção à gestão de alterações. As maiores versões costumam ser entregues uma vez a cada trimestre (a Salesforce faz isso três vezes por ano).

Lançamento em intervalos regulares. Busque lançar as versões em intervalos regulares e em determinado dia da semana. Por exemplo, as versões menos importantes podem ser lançadas às 20h da primeira terça-feira de cada mês. Essa consistência de cronograma ajuda no planejamento de toda a empresa e no alinhamento das expectativas com as dos seus usuários empresariais. Um último detalhe: tente não marcar os lançamentos perto de feriados ou outros eventos muito importantes.

Rastrear um conjunto de alterações até a produção

Enquanto vai passando pelas etapas do ALM, a equipe da Zephyrus usa o modelo de desenvolvimento com conjunto de alterações. Ela usa a interface de usuário de configuração para criar alterações em um ambiente de desenvolvimento e migrar essas alterações entre ambientes, conforme vão trabalhando nas etapas do ALM.

No desenvolvimento com conjunto de alterações, o artefato de versão da equipe é um conjunto de alterações de metadados, como um diff ou um delta, relativo ao que está na organização de produção. O lançamento envolve apenas metadados que foram adicionados ou alterados; se não houver alteração, não estará na versão.

  • Cada desenvolvedor rastreia as alterações feitas em sua personalização da versão. A ferramenta de rastreamento pode ser desde uma planilha até um sistema de rastreamento de trabalhos.
  • Alguns componentes alterados podem ainda não estar disponíveis na API de metadados e precisarão ser migrados manualmente entre ambientes. Se rastrear essas alterações, lembre-se de migrá-las.
  • Como gerente de lançamentos, Calvin trabalha para descobrir e incluir componentes dependentes na versão. Por exemplo: é impossível fazer a migração de um novo campo personalizado para o ambiente seguinte quando o objeto personalizado ao qual ele pertence não existe na organização de destino. A ferramenta de conjunto de alterações ajuda Calvin a identificar essas dependências.

Página de dependências de componente indicando as dependências por nome e o que as referencia.

Nota

Nota

A migração de perfis e conjuntos de permissões pode ser complicada. Analise as considerações específicas sobre como implantar e recuperar perfis e conjuntos de permissões antes de prosseguir.

O rastreamento de alterações em cada versão dá trabalho, mas se você mantiver seus registros, a distribuição será mais tranquila quando o lançamento ocorrer na produção.

Tudo junto agora!

Sua versão pode conter vários projetos e cada projeto pode ser desenvolvido e testado em ambientes diferentes. Mas antes da etapa de compilação, migre todas as alterações de cada projeto para o mesmo ambiente a fim de integrá-las. Daqui em diante, suas alterações e personalizações em uma versão andarão juntas, como um conjunto de alterações integrado, rumo à produção. Na etapa de teste da versão que vem depois da compilação, você testará todas as alterações em conjunto.

Como gerente de lançamento, Calvin rastreia as alterações de todos os colaboradores da versão. Ele também rastreia as alterações feitas na produção que ainda não foram refletidas nos ambientes de desenvolvimento e teste. Por quê? É a única maneira de implantar personalizações com êxito, sem substituir alterações na organização de produção acidentalmente.

Continue a aprender de graça!
Inscreva-se em uma conta para continuar.
O que você ganha com isso?
  • Receba recomendações personalizadas para suas metas de carreira
  • Pratique suas habilidades com desafios práticos e testes
  • Monitore e compartilhe seu progresso com os empregadores
  • Conecte-se a orientação e oportunidades de carreira